Seu Browser esta com problemas de leitura de javascript!
Barra do Governo

Apresentação

 

A história demonstra que o processo de ocupação territorial está intimamente relacionado à constituição das suas principais vias de transporte, que são em muitos casos o fator determinante de sucesso no desenvolvimento da região.

 

O nascimento do era industrial no início do século XIX foi acompanhado de transformações aceleradas na ordem econômica e social que impulsionaram a abertura dos mercados no mundo e o desenvolvimento tecnológico, que foram acompanhados pelo desenvolvimento dos transportes terrestres e aquaviários.

 

A ferrovia tem suas origens na Europa e foi fundamental para o transporte de bens e pessoas durante a revolução industrial. A Inglaterra, maior potência colonial do século XVII, tinha dificuldades em competir com os tecidos (seda) produzidos nos vales indianos. Por conta disso, os donos das manufaturas financiaram as mudanças tecnológicas – como a máquina a vapor, para a utilização nos teares ingleses – para controlarem o mercado de tecidos (MAMIGONIAN, 2000).

 

Deve-se aos ingleses Richard Trevithick e Vivian, em 1804, a construção da primeira locomotiva, valendo-se de uma pequena máquina a vapor colocada sobre um chassi munido de engrenagens e de uma direção com alavanca. A primeira locomotiva a vapor sobre trilhos foi utilizada, inicialmente, nas minas de carvão, tracionando maiores quantidades do que poderiam fazer os mineiros e os animais. O surgimento do transporte ferroviário possibilitou um transporte mais rápido e eficiente de mercadorias e pessoas, que logo passou a servir ao capitalismo industrial (SILVEIRA, 2003, p.64).

 

As inovações tecnológicas que sucederam a revolução industrial criaram as condições necessárias para o desenvolvimento e expansão das ferrovias na Europa, que reduziram os custos logísticos e viabilizaram o surgimento de novas fronteiras comerciais.

 

Na America a revolução do transporte ferroviário se iniciou nos Estados Unidos, que teve sua primeira estrada de ferro implantada em 1826 (MONTEIRO, 1994). O tipo de capitalismo engendrado nos Estados Unidos e a dimensão continental do país, com clima e relevo condizentes para a construção ferroviária contribuíram para um desenvolvimento tecnológico acelerado no setor fazendo com que ali se construísse a maior quilometragem mundial de estradas de ferro e se implantasse de uma das mais eficientes e modernas indústrias de equipamentos ferroviários do mundo (SILVEIRA, 2003, p.69).

 
OBJETO DA CONCESSÃO: Construir e manter a ferrovia, instalar e manter os sistemas operacionais e gerenciar a circulação de trens, garantindo a capacidade e o desempenho especificado no contrato.
 
Critério de Licitação: menor custo de circulação por trem / km - (direito de passagem)
 
TIR: 6%
Financiamento: TJLP + 1%
Alavancagem BNDES: 80%
 

A parceria público-privada para a construção e a operação das novas ferrovias será materializada por um contrato de concessão entre o Governo e um empreendedor privado para a construção e a operação de infraestruturas públicas de transporte ferroviário.

 

Haverá o compartilhamento de parte dos riscos associados aos empreendimentos ferroviários com a Administração Pública, representada pela Valec Engenharia, Construções e Ferrovias S.A..

 

 

 

 

Agência Nacional de Transportes Terrestres

CNPJ: 04.898.488/0001-77

EndereçoSetor de Clubes Esportivos Sul - SCES, lote 10, trecho 03, Projeto Orla Polo 8 - Brasília - DF

CEP: 70200-003

Ouvidoria

Telefone: 166

E-mail: ouvidoria@antt.gov.br

Fale conosco

Contato

Setor de Clubes Esportivos Sul - SCES, lote 10, trecho 03, Projeto Orla Pólo 8 - Brasília - DF

CEP: 70200-003
CNPJ: 04.898.488/0001-77
Fale Conosco: 166
Email: pilferrovias@antt.gov.br

TOPO